Toda a gente pode ser um Herói do Coração!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

A ISA juntou-se à Federação Mundial do Coração para apoiar o Dia Mundial do Coração 2019

Bruxelas, 26 de setembro de 2019: A Associação Internacional de Adoçantes (ISA) com orgulho associa-se à Federação Mundial do Coração para apoiar o Dia Mundial do Coração a 29 de setembro e às atividades relacionadas, bem como aumentar a sensibilização sobre a importância de agir agora para viver mais, viver melhor e de forma mais saudável para o coração.

As doenças cardiovasculares, incluindo as cardiopatias e AVC, são a principal causa de morte no mundo hoje em dia:

  • A cada ano, 17.9 milhões de pessoas em todo o mundo morrem de doenças cardiovasculares,representando quase metade de todas as mortes causadas por doenças não transmissíveis;
  • As doenças cardiovasculares sãopassíveis de prevenção: ao controlar os fatores de risco como uso de tabaco, regimes alimentares inadequados e inactividade física, pelo menos 80% das mortes prematuras por doenças cardíacas e AVC poderiam ser evitadas;
  • Os líderes mundiais estão comprometidos em reduzir a mortalidade global por doenças não transmissíveis em 25% até 2025.1

O Dia Mundial do Coração foi criado pela Federação Mundial do Coração e é comemorado todos os anos a 29 de setembro. Visa a consciencialização para as ações que os indivíduos podem adotar para prevenir e controlar doenças cardiovasculares(CVDs). O Dia Mundial do Coração 2019 procura capacitar cada um de nós a agir por um coração saudável e a fazer uma promessa a nós mesmos de viver mais, viver melhor e de forma mais saudável para o coração. Toda a gente pode ser um Herói do Coração. Sob o mote “Seja um Herói do Coração”, todos podem fazer uma promessa a si próprios, aos seus amigos, à sua família, aos seus pacientes, aos seus colaboradores. Uma promessa para o nosso coração, para coração deles, uma promessa de cozinhar e comer de forma mais saudável, de fazer mais exercícios e de incentivar os nossos filhos a serem mais ativos; uma promessa aos nossos entes queridos de dizer não ao fumo ou de ajudá-los a parar.2

Uma promessa para pequenas alterações no estilo de vida que permita que as pessoas vivam mais tempo e com mais saúde cardiovascular

Por ocasião do Dia Mundial do Coração 2019, a ISA gostaria de salientar pequenos passos que podem ser adoptados para se comer bem e tornar-se mais ativo, o que pode ajudar a alcançar uma vida mais saudável para o coração, como por exemplo:

  • Mude para fruta e vegetais com o objetivo de comer 5 porções por dia; variedade ajuda a atingir o seu objetivo!
  • Limite os alimentos com alto teor de gordura, sal e açúcar; os rótulos dos alimentos podem ajudá-lo a escolher sabiamente!
  • Reduza as guloseimas e refrigerantes;alternativas de alimentos e bebidas com adoçantes sem ou de baixas calorias têm menos açúcar e menos calorias e, portanto, podem ser uma opção útil se quiser continuar a desfrutar do prazer do sabor doce.
  • Reduza a ingestão de álcool e mantenha-o dentro das orientações recomendadas.
  • Procure pelo menos 30 minutosde atividade física de intensidade moderada 5 vezes por semana. Ou mais!
  • Lembre-se: as mudanças podem ser pequenas e não precisam acontecer de uma só vez, mas o impacto na saúde do coração pode ser enorme.

Obesidade e diabetes estão associadas a maior risco de de doenças cardiovasculares

A obesidade é um importante fator de risco para as doenças cardíacas. O aumento do peso corporal leva a um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2 e pode afetar a pressão arterial e os níveis de lipídios no sangue.3 Da mesma forma, pessoas com diabetes têm 2-3 vezes mais probabilidades de ter doenças cardiovasculares.4

Os adoçantes de baixas calorias, como alternativas aos açúcares, têm um papel benéfico a desempenhar quando usados no lugar do açúcar e como parte de um regime alimentar variado e equilibrado e de um modo de vida saudável, incluindo para pessoas em risco de doença cardíaca. De facto, o consumo de adoçantes de baixas calorias causa um aumento menor dos níveis de glicose no sangue em comparação com os açúcares.5 Portanto, eles podem oferecer uma ajuda significativa às pessoas com diabetes que precisam de gerir a sua ingestão de hidratos de carbono6 mas que ainda assim desejam desfrutar de alimentos e bebidas com sabor doce, com menos açúcar e menos calorias. Os adoçantes de baixas calorias podem, por sua vez, ajudar a reduzir a quantidade total de calorias que as pessoas consomem e, assim, ajudar na gestão do seu peso.7 Os adoçantes de baixas calorias também são ingredientes amigos dos dentes e, portanto, não contribuem para a cárie dentária.5

Participe na conversação nas redes sociais sobre o Dia Mundial do Coração de 2019 e partilhe as informações e conselhos referidos anteriormente utilizando #WorldHeartDay.

  1. https://www.who.int/nmh/publications/ncd-action-plan/en/
  2. https://www.world-heart-federation.org/world-heart-day
  3. World Heart Federation. Factsheet: Diet, overweight and obesity. Published 30 May 2017. Available at: https://www.world-heart-federation.org/resources/diet-overweight-obesity/
  4. World Heart Federation. A roadmap on the prevention of cardiovascular disease among people living with diabetes. Global Heart 2019 Sep 2; 14(3): 215-240
  5. The European Food Safety Authority (EFSA) has concluded that: “Consumption of foods/drinks containing intense sweeteners instead of sugar induces a lower blood glucose rise after their consumption compared to sugar-containing foods/drinks” and that: “Consumption of foods/drinks containing intense sweeteners instead of sugar contributes to the maintenance of tooth mineralisation”. EFSA Scientific opinion on the substantiation of health claims related to intense sweeteners. EFSA 2011 Journal 9(6): 2229, and 9(4): 2076
  6. Diabetes UK. The use of low or no calorie sweeteners. Position Statement (Updated December 2018). Available at: https://www.diabetes.org.uk/professionals/position-statements-reports/food-nutrition-lifestyle/use-o…
  7. Rogers PJ, Hogenkamp PS, de Graaf C, et al. Does low-energy sweetener consumption affect energy intake and body weight? A systematic review, including meta-analyses, of the evidence from human and animal studies. Int J Obes 2016; 40(3): 381-94.