Consumo de bebidas açucaradas e risco de diabetes autoimune latente em adultos (LADA) e diabetes tipo 2.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Löfvenborg JE, Anderson T, Carlsson PO, Dorkhan M, Groop L, Martinell M, Tuomi T, Wolk A, Carlsson S
Nome da Publicação : Eur J Endocrinol. 2016 Dec;175(6):605-614
Ano de publicação : 2016

Sumário

Com base num reduzido número da população, em particular, apenas 6% das 357 pessoas com diabetes tipo LADA (no total 21 pessoas), o estudo de Löfvenborg et al. sugere que a ingestão diária de mais de duas bebidas açucaradas está associada ao aumento do risco de LADA e, de forma semelhante, à diabetes tipo 2.

Além disso, por natureza, um estudo observacional não pode estabelecer uma relação causal entre o consumo de bebidas dietéticas e o risco de desenvolver diabetes. Na verdade, os autores reconhecem que o seu desenho retrospetivo é a principal limitação do estudo, podendo dar origem a um viés. O facto de ter sido solicitado aos pacientes que recordassem o consumo de bebidas açucaradas antes do diagnóstico, enquanto aos grupos de controlo foi solicitado que recordassem a sua ingestão durante o ano imediatamente anterior à data de participação, podem introduzir viés. Tal como acontece com todos os estudos de natureza observacional, não podem ser excluídas a possibilidade de os resultados serem influenciados por fatores de confusão residuais e não medidos ou a ausência de relatório.

Além disso, é surpreendente que o resultado do estudo em relação às pessoas com diabetes tipo LADA, também designado de início tardio da diabetes tipo 1, o que significa que se trata de diabetes tipo 1 que surge num determinado momento da vida adulta em vez de numa idade mais jovem. A LADA é uma alteração autoimune e não há evidências que confirmem que alimentos específicos ou comportamentos alimentares podem causar distúrbios autoimunes. Portanto, tais observações têm muito pouco valor e são questionáveis. Para mais informações, leia os comentários da ISA acedendo aqui.

Ver o documento completo