Avanços dos adoçantes não-calóricos com vantagens na saúde oral em relação aos açúcares

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Grenby TH
Nome da Publicação : Proc Finn Dent Soc. 1991; 87(4): 489-99
Ano de publicação : 1991

Sumário

Esta revisão fornece um resumo dos avanços do início dos anos 90 em relação aos adoçantes de baixas calorias e os seus benefícios para a saúde oral. Desde essa altura, tem sido realizada uma série de estudos, fornecendo mais evidências quanto ao papel benéfico dos adoçantes de baixas calorias na saúde oral. Tendo em conta todas as evidências publicadas disponíveis, em 2011 a EFSA concluiu no seu parecer científico queexiste informação científica suficiente para confirmar as alegações que os adoçantes intensos, tal como todos os substitutos do açúcar, mantêm a mineralização dentária diminuindo a sua desmineralização, se consumidos em vez de açúcar.

Com base neste parecer científico da EFSA, a Comissão Europeia autorizou em 2012 a alegação nutricional e de saúde segundo a qual o consumo de alimentos com adoçantes de baixas calorias em vez de açúcar, contribui para a manutenção da mineralização dentária (Regulamento (UE) n.º 432/2012 da Comissão, 16 de maio de 2012).

Ver o documento completo