Entrevista com o Dr. Jean-Michel Lecerf: De que forma os adoçantes de baixas calorias podem ser úteis no controlo de peso?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

microphone

A ISA viajou para Lille entre 26 e 28 de maio e no contexto das «Jornadas de Estudos» do Congresso da AFDN, reuniu com o Dr. Jean-Michel Lecerf, que deu uma entrevista sobre adoçantes de baixas calorias.

O Dr. Lecerf, Professor Associado e Chefe do Departamento de Nutrição do Instituto Pasteur de Lille, França, foi questionado sobre o papel e os benefícios dos adoçantes de baixas calorias na manutenção do peso, mas também sobre a obesidade e os fatores que o afetam, ferramentas de manutenção de peso, entre outras questões.

Aqui fica o que ele nos disse…

P: O seu interesse científico é o papel da nutrição em doenças não transmissíveis, como diabetes e doenças cardiovasculares. O que o motivou a iniciar a sua pesquisa nesta área?
DR LECERF: Enquanto endocrinologista, as áreas de doenças metabólicas e nutrição desencadearam o meu interesse desde o início, porque ambos os temas eram importantes numa perspectiva de investigação e prevenção, mas também do ponto de vista do tratamento médico.

P: A obesidade é um dos desafios mais importantes para a saúde pública e tem sido associada a doenças não transmissíveis como a diabetes e as doenças cardiovasculares. Que fatores são mais prováveis de estar na origem da obesidade: genética, má alimentação, inatividade física ou falta de exercício?
DR LECERF: O equilíbrio energético, equilíbrio entre a ingestão e o consumo de energia, desempenha um papel importante no aumento de peso. Mas somos todos únicos: genética, epigenética e microbiota são a causa dessa desigualdade. Em termos de saúde pública, desigualdade social, stress, desequilíbrio alimentar, pobreza e ignorância também são fatores importantes.

P: Acredita que as complicações derivadas da obesidade, como a hipertensão ou a resistência à insulina, podem ser reversíveis com a perda de peso?
DR LECERF: Efetivamente, a hipertensão, a resistência à insulina, a dislipidemia, podem ser parcial ou completamente reversíveis, dependendo da gravidade ou duração da doença.

P: Considera que as pessoas obesas podem ser metabólicamente saudáveis, ou a perda de peso é indispensável para todas as pessoas com excesso de peso e obesidade?
DR LECERF: As pessoas com excesso de peso não têm todas o mesmo perfil em termos de causas e efeitos. Existem pessoas obesas que são metabolicamente saudáveis, mas podem vir a ter consequências da obesidade. Para um mesmo peso corporal, a composição corporal e a distribuição de gordura também têm de ser levadas em consideração. Da mesma forma, uma pessoa com excesso de peso que é ativa, tem uma dieta saudável, e nenhum outro fator de risco, pode não precisar de perder peso, mas apenas evitar ganhar peso!

P: Recomendaria o uso de alimentos e bebidas com baixo teor calórico, baixo teor de gordura e alimentos e bebidas com baixo teor de açúcar numa dieta de perda de peso? Em caso afirmativo, de que forma poderiam ser úteis?
DR LECERF: Sim, claro, é preciso aprender a comer menos, mas sem se sentir frustrado. Faz parte de uma educação completa. Alguém pode reduzir a quantidade de alimentos e/ou escolher alimentos que contenham menos calorias, mas não devem chegar à restrição cognitiva, isto é, transformar o controle dietético numa experiência dolorosa.

P: Qual seria o seu conselho para as pessoas que consideram usar adoçantes de baixas calorias e alimentos/bebidas que os contenham para ajudar a manter o peso?
DR LECERF: Estas pessoas precisam juntar isso a uma dieta equilibrada, pois usar adoçantes de baixas calorias ou consumir alimentos que os contenham, não seria benéfico se as escolhas alimentares e o nível de atividade física não forem satisfatórios. No entanto, o uso de adoçantes de baixas calorias pode ser útil para ajudar as pessoas a cumprir melhor sua dieta.

P: Alguns estudos observacionais sugeriram um vínculo entre os adoçantes de baixas calorias e a obesidade, enquanto estudos clínicos em seres humanos sustentam que os adoçantes de baixas calorias podem ajudar na perda de peso. Como explicaria esses resultados conflituantes?
DR LECERF: A relação entre o consumo de adoçantes de baixas calorias e a obesidade existe, no entanto, a relação entre estes não é que o uso de adoçantes de baixas calorias leva à obesidade, mas sim o contrário, ou seja, ser obeso incentiva a consumir adoçantes de baixas calorias (para reduzir a ingestão de energia). Um estudo observacional mostrou que as pessoas que ganharam peso ou simplesmente perderam alguns quilos, tendem a consumir adoçantes de baixas calorias com mais frequência.

P: Recomendaria o uso de adoçantes de baixas calorias a outros grupos de pessoas, como por exemplo a pessoas com diabetes ou doenças cardiovasculares?
DR LECERF: Os adoçantes de baixas calorias não são um requisito necessário para perder peso, mas são úteis. Todos os estudos mostram que ajudam na perda de peso, incluindo a perda de gordura abdominal, que é um fator de risco para a diabetes e as doenças cardiovasculares.

– Fim da entrevista –

Leia mais sobre o simpósio da ISA no Congresso da AFDN clicking here, e leia o comunicado de imprensa da ISA sobre esse evento aqui.