Destaques da Conferência DIETS-EFAD 2014

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Os adoçantes de baixas calorias e o seu impacto no controlo de peso, diabetes e a preferência pelo doce, foram temas em debate na conferência organizada pela ISA que contou com a presença de especialistas em saúde e dietética no âmbito da Conferência DIETS-EFAD (Federação Europeia de Associações de Dietistas) em Atenas. Aqui partilhamos os principais destaques dos trabalhos:

DESEJO POR DOCES

Existem preocupações de que os adoçantes de baixas calorias possam, paradoxalmente, aumentar a fome e o desejo por doces, através da separação das propriedades sensoriais e hedonistas dos doces do efeito saciante do açúcar (energia absorvida). No entanto, na conferência apresentaram-se evidências de consenso de que este não é o caso e, além disso, os adoçantes de baixas calorias podem efetivamente ser uma ferramenta útil para moderar o nosso forte desejo inato por doces.

Destaques da Conferência:

  • A evidência sugere que as pessoas que incluem os adoçantes de baixas calorias na sua dieta são, na verdade, menos propensas a desejar e consumir alimentos açucarados em excesso, de acordo coma Dr.ª France Bellisleda Unidade de Epidemiologia Nutricional da Universidade de Paris.
  • Os utilizadores de adoçantes de baixas calorias também adotam dietas mais saudáveis e com menor teor calórico, incluindo um maior consumo de grãos integrais, frutas e vegetais e produtos lácteos com baixo teor de gordura.
  • Com base na evidência, muitos especialistas acreditam que os alimentos com adoçantes de baixas calorias podem, muitas vezes, ajudar a satisfazer o nosso desejo natural pelo sabor doce para que não o procuremos noutros lugares, sob a forma de alimentos açucarados.
  • Os adoçantes de baixas calorias não aumentam o apetite por doces. A preocupação de que os adoçantes de baixas calorias, ao separar as propriedades sensoriais e hedonistas do doce do seu efeito saciante (energia absorvida) possam aumentar o apetite por doces, é infundada, como demonstrado por um conjunto de dados convergentes utilizando várias metodologias.

CONTROLO DE PESO
Pode ser surpreendente, mas oProf. James Hill, Professor de Pediatria e Medicina na Universidade do Colorado, explicou que perder peso é comparativamente fácil – manter a perda de peso ou, antes, evitar o aumento é que é muito difícil e requer mais investigações científicas.

Destaques da Conferência:

  • De acordo com dados do Registo Nacional de Controlo de Peso (uma base de dados de pessoas que perderam e mantiveram 13 kgs ou mais), as mudanças de estilo de vida consistentes a longo prazo, como subir regularmente escadas, tomar o pequeno almoço e praticar atividade física durante uma hora por dia, é fundamental para manter a perda de peso.
  • A troca de bebidas açucaradas por bebidas sem calorias é uma estratégia eficaz para a manutenção de peso; indivíduos inscritos no Registo Nacional de Controlo de Peso bebiam três vezes mais bebidas com adoçantes de baixas calorias do que o público em geral.
  • Um estudo controlado randomizado que comparou os efeitos da água e das bebidas sem e de baixas calorias na perda de peso, descobriu que as pessoas em regime de dieta que bebiam bebidas sem e de baixas calorias e água, perderam ligeiramente (mas estatisticamente significante) mais peso do que aqueles que apenas bebiam água.

DIABETES
Enquanto grupo, as pessoas com diabetes estão entre os consumidores mais regulares de adoçantes de baixas calorias, referiua Dr.ª Aimilia Papakonstantinou, nutricionista e Professora de Nutrição e Metabolismo na Universidade Agrícola de Atenas. A evidência indica, concluiu a Drª Papakonstantinou, que os adoçantes de baixas calorias são seguros e desempenham um papel importante nas dietas das pessoas com diabetes.

Destaques da Conferência:

  • Mesmo entre os consumidores de adoçantes de baixas calorias, a segurança não é um problema, pois o seu consumo não se aproxima sequer da DDA (dose diária admissível). Uma pessoa média teria comer 75 iogurtes com adoçantes de baixas calorias todos os dias, durante o resto da sua vida, para alcançar a DDA.
  • Muitas pessoas com diabetes acreditam que não podem voltar a comer os seus alimentos doces favoritos após o diagnóstico, mas os alimentos com adoçantes de baixas calorias podem oferecer-lhes uma forma de apreciar o doce, porque não afetam os níveis de glicose no sangue ou a insulina. Além disso, o sabor e a variedade que os alimentos com baixas calorias proporcionam, pode ajudar as pessoas com diabetes a aderir a uma dieta que controle o peso e os níveis de açúcar no sangue.
  • Curiosamente, tal como os consumidores regulares de adoçantes de baixas calorias, as pessoas com diabetes têm muito menos preocupações com a segurança. A segurança dos adoçantes, como o aspartame, foi confirmada pelas entidades reguladoras em todo o mundo, incluindo a Agência Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) e a agência Food and Drug Administration dos EUA.

Para informações adicionais sobre a participação da ISA na 8.ª Conferência da DIETS-EFAD em Atenas, por favor clique aqui.