Viés e limitações que uma revisão sistemática por Mandrioli et al suscita sérias preocupações sobre as suas conclusões em relação à pesquisa apoiada pela indústria sobre adoçantes de baixas calorias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Declaração ISA em resposta à revisão sistemática por Mandrioli et al

Associação Internacional de Adoçantes (ISA) refuta fortemente as conclusões enganosas e tendenciosas de um artigo de Mandrioli et al, no Plos One, alegando que a pesquisa apoiada pela indústria sobre bebidas adoçadas de baixas calorias e resultados no peso, é mais provável que mostre resultados favoráveis. Os autores não reconhecem uma série de vieses e limitações importantes da sua revisão sistemática, que suscitam sérias preocupações com a qualidade do estudo e a precisão de seus resultados.

Importante, no que diz respeito à metodologia utilizada, os autores não seguiram os critérios de inclusão estabelecidos para esta revisão sistemática, como por exemplo, afirmam que as apresentações de conferências publicadas foram excluídas das suas análises, mas a publicação de Hervé Nordmann na Agro Food Industry Hi-Tech é claramente uma revisão com base nos resultados da conferência da Associação Internacional de Adoçantes (ISA) em 2011. Além disso, a revisão de Nordmann está registada como uma revisão financiada pela ISA, quando, de fato, a ISA não forneceu qualquer financiamento ou apoio a esta publicação.

Em relação às limitações deste estudo, a revisão sistemática de Mandrioli et al chegam a conclusões questionáveis baseadas apenas em quatro estudos de revisão apoiados pela indústria, um número muito pequeno para tirar conclusões seguras. Além disso, baseia-se numa amostra altamente heterogénea de estudos, incluindo revisões que resumiram os dados quantitativamente (com meta-análise), bem como apenas revisões qualitativas. No entanto, este tipo de estudos não são comparáveis em termos da sua metodologia e hierarquia de evidências, sendo que a meta-análise é geralmente considerada a forma mais valiosa de investigar evidências, enquanto as revisões qualitativas podem resumir a evidência, mas não incluem necessariamente critérios explícitos para a seleção de evidências e, certamente, estão num patamar muito inferior na hierarquia de evidências. Neste contexto, por exemplo, é importante salientar que duas das quatro revisões apoiadas pelo setor, incluem também uma meta-análise e, portanto, a comparação realizada nesta revisão sistemática entre os estudos financiados pela indústria e não financiados pela indústria é simplesmente tendenciosa. Outros parâmetros que a publicação de Mandrioli et al não leva em consideração é a alteração nos padrões de divulgação do financiamento e conflitos de interesse ao longo do período que é examinado nesta revisão (1978-2014).

A Associação Internacional de Adoçantes (ISA) acredita firmemente que o apoio da indústria alimentar à pesquisa, pode contribuir mais para o avanço das evidências científicas na ciência da nutrição. A ISA apoia totalmente uma relação transparente entre os cientistas e o financiamento da indústria, e incentiva ativamente a divulgação completa de todos os conflitos de interesse.

  1. Mandrioli D, Kearns CE, Bero LA (2016) Relationship between Research Outcomes and Risk of Bias, Study Sponsorship, and Author Financial Conflicts of Interest in Reviews of the Effects of Artificially Sweetened Beverages on Weight Outcomes: A Systematic Review of Reviews. PLoS ONE 11(9): e0162198. doi:10.1371/journal.pone.0162198
  2. Nordmann H. (2012) Low calorie foods, beverages and sweeteners Can they really contribute to a healthier future? Agro Food Industry Hi Tech.