Revisão Crítica da Literatura Corrente da Segurança da Sucralose

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Magnuson BA, Roberts A, Nestmann ER
Nome da Publicação : Food and Chemical Toxicology, 2017 May 27. pii: S0278-6915(17)30281-8. doi: 10.1016/j.fct.2017.05.047. [Epub ahead of print]
Ano de publicação : 2017

Sumário

Tendo revisto a base de dados extensiva de estudos sobre a segurança da sucralose, esta revisão completa da literatura de Magnuson et al., conclui que as evidências coletivas apoiam uma demonstração clara da segurança do uso de sucralose como um adoçante de baixas calorias em alimentos e bebidas e que a sucralose é não-carcinogénica, baseado em estudos de carcinogenecidade que cumprem com o padrão regulatório para o desenho e conduta apropriados e não há evidências de genotoxicidade.

Além disso, a revisão proporciona uma visão geral de estudos recentes que relatam ingestões de sucralose diárias estimadas em diferentes subgrupos da população, incluindo crianças. Os resultados de estimativas de consumo dizem sistematicamente que as ingestões de sucralose em todos os membros da população, incluindo crianças e diabéticos, estão bem abaixo da Dose Diária Admissível, mesmo ao usar abordagens conservadoras como o uso de níveis de utilização máximos.

Finalmente, os autores reviram numerosos ensaios clínicos anteriores mais recentes, em ambos sujeitos saudáveis e diabéticos usando uma variedade de abordagens e condições, incluindo as medidas de incretinas gastrointestinais, e concluem que as evidências coletivas apoiam uma falta de efeito da sucralose no controlo glicémico e hormonas intestinais e/ou funções intestinais, e assim pode ser usado com segurança por pessoas com diabetes.

Ver o documento completo