O consumo de adoçantes de baixas calorias em crianças e adultos nos Estados Unidos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Sylvetsky AC, Jin Y, Clark EJ, Welsh JA, Rother KI, Telgawkar SA
Nome da Publicação : J Acad Nutr Diet. 2017 Jan 6. pii: S2212-2672(16)31395-8. doi: 10.1016/j.jand.2016.11.004. [Epub ahead of print]
Ano de publicação : 2017

Sumário

Esta análise dos dados de registo diário de 24h não aponta para nada mais além do facto de que os alimentos e bebidas com adoçantes de baixas calorias serem recordados como tendo sido consumidos no dia anterior por mais pessoas (crianças e adultos) nos EUA no período entre 2009-2012, do que em 1999-2000. Além disso, para colocar em perspectiva a conclusão desta análise e como afirmam os autores, o uso de adoçantes de baixas calorias é relativamente baixo quando avaliado como uma proporção da ingestão total de alimentos e bebidas.. Mais concretamente, o consumo de bebidas com baixas calorias inclui apenas 1% da ingestão total de bebidas relatada em crianças e 5% do consumo total de bebidas em adultos. Da mesma forma, apenas 1% e 2,5%, respectivamente em crianças e adultos, de todas as sobremesas consumidas em NHANES 2009-2012 continham adoçantes de baixas calorias.

As conclusões do estudo também sugerem que a frequência de consumo aumentou com o peso corporal nos adultos, o que pode constituir uma situação de potencial causalidade reversa (as pessoas com maior peso corporal consomem mais frequentemente produtos com adoçantes de baixas calorias num esforço para controlar o seu peso). Além disso, a análise sugere que há um aumento no número de adultos e crianças que se lembram do consumo de alimentos / bebidas com adoçantes de baixas calorias, em comparação com os conjuntos de dados anteriores. Pode efetivamente ocorrer à luz da epidemia de obesidade, dada a disponibilidade de uma variedade mais ampla de produtos com menor teor calórico e açúcares para os jovens e os pais escolherem como alternativa aos seus favoritos adoçados com açúcar. Para mais informações, leia a declaração da ISAao aceder aqui.

Ver o documento completo