Aspartame: uma avaliação de segurança baseada em níveis atuais de utilização, regulamentação e estudos toxicológicos e epidemiológicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Magnuson BA, Burdock GA, Doull J, Kroes RM, Marsh GM, Pariza MW, Spencer PS, Waddell WJ, Walker R, Williams GM
Nome da Publicação : Crit Rev Toxicol. 2007;37(8):629-727
Ano de publicação : 2007

Sumário

Ao rever a literatura sobre o metabolismo e segurança do aspartame, este estudo de Magnuson et al concluiu que o aspartame é seguro nos níveis atuais de consumo e não se verificam efeitos adversos com doses ou aspartame com base em níveis de efeitos adversos não observáveis (NOAEL). O aspartame está bem documentado como não genotóxico e não existe evidência de carcinogenicidade. Adicionalmente, os dados não confirmam a hipótese de que a inclusão de aspartame na dieta humana pode afetar as funções do sistema nervoso, aprendizagem ou comportamento.
Os investigadores afirmam que o aspartame é um adoçante amplamente estudado, cuja segurança está claramente fundamentada e bem estabelecida através de extensos testes laboratoriais, experiências com animais, estudos epidemiológicos e ensaios clínicos em seres humanos.

Ver o documento completo