A ingestão alimentar de adoçantes artificiais pela população belga

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Huvaere K, Vandevijvere S, Hasni M, Vinkx C, Van Loco J
Nome da Publicação : Food Addit Contam Part A Chem Anal Control Expo Risk Assess. 2012;29(1):54-65
Ano de publicação : 2012

Sumário

Este estudo de Huvaere et al. concluiu que a ingestão diária de adoçantes de baixas calorias (acesulfame-K, sacarina, ciclamato, aspartame e sucralose) entre pessoas com mais de 15 anos na Bélgica, é significativamente menor do que a dose diária admissível (DDA), mesmo para consumidores intensivos. Além disso, nem as pessoas com diabetes, que poderiam potencialmente consumir mais produtos com adoçantes de baixas calorias, foram expostas a maiores níveis de ingestão.
De facto, o risco de ultrapassar as DDA dos adoçantes estudados pelos consumidores belgas revelou ser muito baixo, tanto ao nível da abordagem mais conservadora (nível 2) como em relação aos níveis de concentração reais nos alimentos que foram tidos em consideração (nível 3 ). Concluiu-se que a população belga não corre o risco de exceder as DDA estabelecidas para adoçantes.

Ver o documento completo