Podem os adoçantes sem ou de baixas calorias ajudar-nos a perder peso? As suas dúvidas respondidas pela ciência

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Novo estudo analisa a totalidade dos ensaios clínicos sobre os efeitos dos adoçantes sem ou de baixas calorias no peso corporal

Destaques:

  • Uma alimentação saudável e equilibrada é importante para uma boa saúde e para ajudar a gerir o peso corporal.
  • A principal descoberta de uma nova revisão sistemática e metanálise é que a substituição do açúcar por adoçantes sem ou de baixas calorias pode ajudar a reduzir o peso.
  • Este efeito foi particularmente evidente em pessoas com excesso de peso / obesidade e naquelas com uma dieta “livre” e sem restrições.
  • Não há evidências neste estudo para apoiar a alegação de que o consumo de adoçantes sem ou de baixas calorias pode promover o ganho de peso.
  • Os autores consideram que o estudo “pode ser usado para fornecer uma base sólida para decisões de políticas públicas baseadas em evidências”.

O novo ano foi marcado por uma situação sem precedentes em todo o mundo. Nestes tempos difíceis, a nova prioridade é protegermo-nos e aos nossos entes queridos da pandemia de coronavírus e doença de COVID-19, seguindo as orientações das nossas autoridades nacionais de saúde pública. Ficar em casa, garantindo a nossa segurança e bem-estar, tanto do ponto de vista físico quanto psicológico, é o nosso novo foco.

Nestas circunstâncias angustiantes, muitas pessoas podem ter questões sobre nutrição. Algumas também estão preocupadas com as mudanças nos seus hábitos alimentares e o potencial impacto no controlo do peso corporal. Ficar em casa pode levar ao aumento de um consumo em excesso, além de se ser menos ativo fisicamente, o que, em conjunto, pode levar a um aumento de peso. Uma alimentação saudável e equilibrada é importante para uma boa saúde e para ajudar a gerir o peso corporal. Comer de forma sensata, escolher uma alimentação variada de uma gama ampla e completa de alimentos e manter-se ativo são ótimas maneiras de melhorar a sua saúde.1

Uma questão frequente é o papel dos adoçantes no peso corporal. Podem os adoçantes sem ou de baixas calorias ajudar no controlo do peso corporal? Ou eles podem dificultar esse esforço? Um novo estudo de Hugo Laviada-Molina e colegas, publicado em março de 2020 na publicação científica Obesity Reviews2, avaliaram a totalidade dos ensaios clínicos publicados, em seres humanos, para responder a estas questões.

Um olhar mais atento aos resultados do estudo

O estudo analisou dados de 20 ensaios clínicos aleatórios publicados e concluíu que a utilização de adoçantes sem ou de baixas calorias resulta em valores clinicamente apreciáveis de menor peso corporal / índice de massa corporal (IMC) em determinados quadros clínicos. Verificou-se que o efeito favorável dos adoçantes sem ou de baixas é mais significativo quando utilizados como substitutos do açúcar, principalmente na população adulta, em pessoas com excesso de peso ou obesidade e naquelas que seguem uma dieta “livre” sem restrições. Quando os adoçantes sem ou baixas calorias foram comparados com comparadores não calóricos, como a água, não houve diferença no peso corporal.

Concretamente, verificou-se que o uso de adoçantes sem ou de baixas calorias em vez do açúcar beneficia (em média) -1,3kg de perda de peso para a amostra total, com o número a aumentar para cerca de -2,5kg para pessoas com excesso de peso / obesidade. Esta conclusão não faz dos adoçantes sem ou de baixas calorias uma “varinha de condão” para a perda de peso, mas confirma que eles podem ser uma das muitas estratégias úteis para ajudar nos esforços de controlo de peso.

Porque é que este estudo é importante?

Este estudo é uma revisão sistemática incluindo meta-análise. Este tipo de estudo fornece a melhor qualidade de evidência, pois procura minuciosamente todas os trabalhos de investigação relevantes, avalia criticamente cada estudo, sintetiza as descobertas de estudos individuais de maneira imparcial e apresenta um resumo importante e equilibrado das conclusões, tendo em consideração as lacunas na evidência.3

Revisões sistemáticas e meta-análises de ensaios clínicos aleatórios (por exemplo, estudos em seres humanos bem controlados e bem desenhados) fornecem evidências de maior qualidade em comparação com as meta-análises de estudos observacionais. Laviada-Molina et al., apontam para as limitações das evidências observacionais das relações entre a alimentação e doença, incluindo avaliação imprecisa da ingestão, fatores de confusão residuais e possível nexo de causalidade inversa. É por isso que é importante considerar a hierarquia de evidências, principalmente ao considerar as meta-análises como instrumentos de formulação de políticas, o que requer um resumo das evidências disponíveis de melhor qualidade.

Mensagem final

Em suma, a presente revisão sistemática e meta-análise não encontraram evidências para apoiar a alegação que o consumo de adoçantes sem ou de baixas calorias promoveria o aumento de peso. Em contraste, os resultados indicam que a substituição do açúcar por adoçantes sem ou de baixas calorias leva à redução de peso, um efeito que é maior para as pessoas com excesso de peso / obesidade.

  1. British Dietetic Association (BDA). Healthy Eating: Food Fact Sheet. Available at: https://www.bda.uk.com/resource/healthy-eating.html
  2. Laviada-Molina H, Molina-Segui F, Pérez-Gaxiola G, et al. Effects of nonnutritive sweeteners on body weight and BMI in diverse clinical contexts: Systematic review and meta-analysis. Obesity Reviews 2020; 1-13. https://doi.org/10.1111/obr.13020
  3. Gopalakrishnan S, Ganeshkumar P. Systematic Reviews and Meta-analysis: Understanding the Best Evidence in Primary Healthcare. J Family Med Prim Care. 2013 Jan;2(1):9-14. doi: 10.4103/2249-4863.109934.