Apertar o cinto à epidemia da obesidade na Europa – A ISA apoia os objetivos do Dia Europeu da Obesidade de 2014

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Bruxelas, 18 de maio de 2014: O Dia Europeu da Obesidade é uma forma importante de recordar às pessoas a epidemia da obesidade e as medidas em vigor para ajudar a abrandar esta doença.

O número de pessoas que sofrem de obesidade e doenças associadas, como a Diabetes Tipo 2, Doenças Cardiovasculares e Hipertensão assume proporções epidémicas em todo o mundo. Actualmente, a obesidade é uma das preocupações de saúde pública mais prementes para os Governos, das quais a Europa não está imune. De acordo com a OCDE1, mais de metade (52%) da população adulta na União Europeia tem excesso de peso ou é obesa, e se não for interrompida, a mortalidade em virtude destas doenças aumentará em 2015 para 8,6 milhões de mortes por ano.2

O custo do tratamento da obesidade e dos impactos associados, incluindo a perda de produtividade a partir dos dias de absentismo, também é considerável. A saúde é o segundo maior setor de despesas, a seguir à protecção social e, de acordo com dados de 2011 do Eurostat, as despesas de saúde pública ascenderam a 15% das despesas públicas totais, das quais 78% estava relacionada com doenças crónicas.3

Neste contexto, a Associação Internacional de Adoçante (ISA) apoia plenamente os objetivos do Dia Europeu da Obesidade e a sua missão em curso, de sensibilização para a obesidade, destacando simultaneamente medidas simples, mas eficazes, que podem ajudar a gerir questões relacionadas com excesso de peso. A ISA acredita que os adoçantes de baixas calorias desempenham um papel chave na ajuda para abordar a agenda da saúde pública e que os alimentos em que estão presentes têm o benefício de proporcionar aos consumidores a escolha e permitir-lhes reduzir a sua ingestão calórica global e melhorar a sua escolhas dietéticas, desfrutando do sabor doce.

Os especialistas que participaram na conferência da ISA destacaram, inequivocamente, o papel e os benefícios dos adoçantes de baixas calorias, contribuindo para a abordagem das doenças e estilos de vida do século XXI. “Descobrimos que os adoçantes de baixas calorias são, na verdade, úteis para uma dieta saudável – os consumidores de adoçantes de baixas calorias também adotam uma dieta mais saudável e equilibrada e são mais ativos fisicamente”, acrescentou o Professor Adam Drewnowski, especialista mundial na prevenção e tratamento da obesidade, da Universidade de Washington.

A boa notícia é que com a educação certa, a obesidade pode ser tratada através de algumas adaptações de estilo de vida, como seja a prática de exercício físico de forma mais regular e fazendo escolhas inteligentes, substituindo diariamente opções de calorias mais altas por menos calorias. Ao proporcionar o sabor doce sem as calorias, as opções de adoçantes de baixas calorias podem contribuir para uma dieta saudável, com o controlo de calorias.

  1. 1 Health at a Glance: Overweight and obesity among adults. OECD iLibrary, 2012http://www.oecd-ilibrary.org/sites/9789264183896-en/02/07/index.html?itemId=/content/chapter/9789264183896-26-en
  2. Reduzir o peso da doença crónica na Europa, ao dar prioridade aos resultados na saúde, Discurso de Joe Jimenez, CEO Novartis – EU Chronic Health Summit – 4 April 2014
  3. Comissão Europeia, DG Saúde e Consumidores, Apresentação de Michael Hübel, novembro de 2013