Os benefícios dos adoçantes de baixas calorias no controlo de peso estão bem documentados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Declaração ISA em resposta a um comunicado de imprensa da Sociedade de Endocrinologia

O conjunto das provas que sustentam os benefícios dos adoçantes de baixas calorias no controlo do peso ofusca as alegações de um novo estudo sobre sucralose, apresentado na 99 reunião anualth da Sociedade de Endocrinologia (ENDO 2017), que se realizou na segunda-feira, dia 3rd de abril de 2017. 1

Um forte corpo de evidência baseado numa riqueza de investigação in vivo e em seres humanos mostra que, quando usados em vez do açúcar, os adoçantes de baixas calorias, incluindo a sucralose, podem ajudar na redução geral de energia e na perda de peso e ofusca a investigação divulgada num comunicado de imprensa pela Sociedade de Endocrinologia, principalmente sobre um estudo celular referente ao potencial da sucralose para afetar a gordura corporal.

As conclusões a que chegaram os investigadores são totalmente inconsistentes com os estudos mais robustos e apontam para conclusões inflamadas, excessivas e carentes de bom rigor científico. Para além disso, o tipo de estudos apresentados na ENDO 2017 não podem ser considerados apropriados para uma avaliação real dos efeitos sobre o peso corporal ou a acumulação de gordura.

Os resultados divulgados são revogados por vastas investigações in vivo que mostram que os adoçantes de baixas calorias, incluindo a sucralose, não aumentam nem o peso corporal, nem a acumulação de gordura. De facto, num estudo clínico randomizado (RCT) de seis meses que contou com 47 participantes, o consumo diário de 1 litro de bebidas dietéticas não causou acumulação de gordura no fígado, músculos ou depósito de gordura visceral, revelando efeitos semelhantes aos da água2. Da mesma forma, num outro RCT, as concentrações de lípidos (gordura) intra-hepáticos foi reduzida para 74% dos valores iniciais quando os participantes do estudo substituíram o consumo diário de bebidas adoçadas com açúcar por bebidas com adoçantes de baixas calorias, que incluíam bebidas com sucralose3. Para além disso, dois novos estudos realizados com roedores sustentam ainda mais a evidência de que a sucralose não provoca aumento de peso4, 5. Importa salientar que um grande número de ensaios clínicos randomizados e revisões sistemáticas bem desenhadas mostraram repetidamente que, quando usados em vez do açúcar, os adoçantes de baixas calorias podem ajudar na redução da energia e na perda de peso6, 7, 8.

É amplamente reconhecido pela comunidade científica que é fundamental evitar conclusões prematuras que possam resultar de um único estudo, sobretudo quando são poucos os detalhes disponíveis e olhar para todo o corpo de evidência. O conjunto total de evidências, baseado numa riqueza de investigações bem desenhadas, atesta que todos os adoçantes de baixas calorias aprovados podem ajudar, de forma segura, a reduzir a ingestão calórica. Estes podem ser uma ferramenta útil numa estratégia nutricional para a manutenção e redução do peso corporal e da gordura.

  1. https://www.eurekalert.org/pub_releases/2017-04/tes-lsp040117.php
  2. Maersk et al. Sucrose-sweetened beverages increase fat storage in the liver, muscle, and visceral fat depot: a 6-mo randomized intervention study. Am J Clin Nutr 2012;95:283–9.
  3. Campos et al. Sugar- and artificially sweetened beverages and intrahepatic fat: A randomized controlled trial. Obesity (Silver Spring). 2015 Dec;23(12):2335-9.
  4. Tordoff MG. et al. Does eating good-tasting food influence body weight? Physiol Behav 2016 Dec 15; 170: 27-31. doi: 10.1016/j.physbeh.2016.12.013. [Epub ahead of print]
  5. Soto M et al. Metabolic effects of intermittent access to caloric or non-caloric sweetened solutions in mice fed a high-caloric diet. Physiol Behav. 2017 Mar 24. pii: S0031-9384(16)31198-2. doi: 10.1016/j.physbeh.2017.03.024. [Epub ahead of print]
  6. Miller, P.E., Perez, V. (2014) Low-calorie sweeteners and body weight and composition: a meta-analysis of randomized controlled trials and prospective cohort studies, American Journal of Clinical Nutrition, vol. 100 [pgs. 765-777]
  7. Rogers PJ. et al. Does low-energy sweetener consumption affect energy intake and body weight? A systematic review, including meta-analyses, of the evidence from human and animal studies. Int J Obes, 2016; 40(3): 381-94.
  8. Peters, J. C., & Beck, J. Low Calorie Sweetener (LCS) use and energy balance. Physiology & behavior, 2016; 164: 524-528