Os alimentos primários relacionados com dieta levam a uma menor ingestão de energia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Conferência da EFAD 2015 – Amesterdão, 26 de outubro:Embora as preocupações de saúde pública com a obesidade e as suas consequências sejam importantes na agenda dos governos e das profissões de saúde em todo o lado, é fácil esquecer o papel que a perda de peso – ou a manutenção de um peso saudável – pode ter numa vida saudável e ativa. A 9ª Conferência Europeia de Associações de Dietistas (EFAD) ocorreu em Amesterdão entre os dias 23 e 24 de outubro, em que um simpósio sobre Doce na vida quotidiana: porque os adoçantes de baixas calorias contribuem para um comportamento positivo de dieta * apresentou a ciência mais recente sobre o uso prático de adoçantes de baixas calorias na dieta diária.

Compreender as pistas do nosso meio envolvente que podem ajudar a manter as metas da dieta, pode ser uma ajuda importante para as atingir. Foi o que levou a Drª. Nicola Buckland e a sua equipa a realizar um estudo de laboratório, visando especificamente a forma como as sugestões de alimentação relacionadas com dieta podem melhorar o controle do apetite e a ingestão de alimentos. “As pessoas em dieta eram mais propensas a associar bebidas com adoçantes de baixas calorias à dieta para perder peso, em comparação com as versões açucaradas”, destacou o estudo. Conforme descrito pela Drª Buckland, os resultados mostraram que “a exposição a imagens, odor ou pré-carga de alimentos primários de dieta, incluindo alimentos densos de baixa energia e bebidas açucaradas de baixas calorias, reduziu significativamente a ingestão de energia” nas refeições subsequentes e, assim, “ajudou a facilitar o autocontrole das pessoas em dieta”.

Estreitamente relacionado com o consumo de energia está o apetite humano pelo doce, que já é abordado na literatura científica há mais de 30 anos. Apresentando dados da pesquisa sobre este tema e incluindo várias abordagens metodológicas, a Drª France Bellisle destacou que “a evidência não confirma a hipótese de que os adoçantes de baixas calorias possam exacerbar o apetite pelo doce”, e que, pelo contrário, a sua utilização “resulta numa diminuição do consumo de produtos que contenham açúcar”. Com base nas análises apresentadas, a Drª Bellisle concluiu: “os adoçantes de baixas calorias podem ser uma ferramenta útil para ajudar as pessoas a facilitar o controle do peso corporal”.

Abordando a qualidade da dieta dos consumidores de bebidas açucaradas de baixas calorias em particular, Sigrid Gibson apresentou resultados de estudos internacionais sobre este tema. Estas descobertas, juntamente com o trabalho recente dos dados do National Diet and Nutrition Survey (NDNS) do Reino Unido, sugerem que os consumidores de bebidas açucaradas de baixas calorias, em comparação com os de bebidas açucaradas, tendem a ter dietas de maior qualidade, que incluem menor consumo de energia e carbo-hidratos , e a envolver-se noutros comportamentos de saúde”. Com base nos resultados dos estudos, Sigrid Gibson destacou que “as bebidas açucaradas de baixas calorias podem ajudar as pessoas a reduzir a ingestão de calorias e açúcar, sem comprometer a qualidade da dieta”.

Com base na riqueza da ciência salientada pelos especialistas em Amesterdão, o Dr. Duane Mellor confirmou que “os adoçantes de baixas calorias têm um papel a desempenhar para permitir que as pessoas desfrutem de alimentos saborosos sem as calorias”, e, portanto, são uma ferramenta útil no controle do apetite e na ingestão de energia, que por sua vez, ajuda a manter o peso. Ao fornecer doce sem as calorias, as opções adoçadas de baixas calorias podem contribuir de forma decisiva para permitir fazer escolhas inteligentes e contribuir para alcançar uma dieta e estilo de vida equilibrados.Para obter mais detalhes desta sessão, incluindo biografias dos palestrantes e resumos das apresentações, pode aceder ao site da ISA, por favoraceda aqui.* Apoiado pela Associação Internacional de Adoçantes (ISA).

Leitura adicional

Artigo da Drª Bellisle sobre Adoçantes Intensos, Apetite pelo gosto doce e relação com o controle de peso, publicado no Current Obesity Reports – acessível aqui.Manuscrito não editado da revisão do Prof Rogers sobre O consumo de adoçantes de baixas calorias afeta a ingestão de energia e o peso corporal? Uma revisão sistemática, incluindo meta-análises, da evidência de estudos em humanos e animais., publicado no International Journal of Obesity – acessível aqui.