Adoçantes de baixas calorias: ainda falta evidência quanto aos efeitos na função do intestino humano

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Autor(es): Bryant C., McLaughlin J
Nome da Publicação : Physiol Behav 2016 Oct 1;164(Pt B):482-5
Ano de publicação : 2016

Sumário

A revisão científica de Bryant e McLaughlin descobriu que não existe evidência dos efeitos dos adoçantes baixos em calorias na função intestinal. A revisão aborda estudos clínicos, celulares e animais, e posiciona os resultados desta investigação em relação ao eixo do intestino-cérebro e a regulação da ingestão de alimentos, tendo sido conduzido à luz de hipóteses recentes sugerindo um efeito dos adoçantes de baixas calorias na saúde humana, através da ativação do receptor intestinal e / ou liberação de hormonas intestinais envolvidas na sinalização de nutrientes e na regulação do apetite.

Depois de analisar a evidência coletiva, os autores concluíram que os estudos realizados em humanos disponíveis não confirmam um efeito clinicamente significativo dos adoçantes de baixas calorias sobre as hormonas intestinais envolvidas no controlo da glicemia ou do apetite. Com base na evidência científica, descobriram que a sucralose, aspartame e ace-K não tiveram um impacto maior do que a água na secreção de GLP-1, insulina, PYY ou grelina, nem qualquer impacto nas respostas do apetite.

Ver o documento completo