Os adoçantes de baixas calorias não afetam a fertilidade nas mulheres

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Declaração da ISA em resposta a um estudo apresentado no congresso da Sociedade Americana para a Medicina Reprodutiva em Salt Lake City

A Associação Internacional de Adoçantes (ISA) refuta categoricamente as conclusões de um novo estudo não publicado e, mais importante, confirma queeste estudo observacional não demonstra que os adoçantes de baixas calorias estejam relacionados com baixas taxas de fertilidade.

O estudo apresentado no dia 19 de outubro, através de um poster numa apresentação oral no congresso da Sociedade Americana para a Medicina Reprodutiva em Salt Lake City, afirma que o consumo de adoçantes de baixas calorias afeta negativamente a qualidade dos ovócitos e os resultados da injeção intracitoplásmica (ICSI) e, por isso, está relacionado com menores taxas de fertilidade nas mulheres que se submetem a fertilização in vitro (IVF). Contudo não apresenta evidência de que os adoçantes de baixas calorias causam quaisquer problemas de fertilidade nas mulheres.Conduzido por um Grupo Médico de Fertilidade em São Paulo, esta investigação não foi publicada numa revista científica nem foi submetida a qualquer processo de avaliação entre pares, portanto, apenas podemos comentar com base no resumo publicado do congresso1. Efetivamente, as manchetes alarmistas utilizadas nos meios de comunicação social antes da apresentação neste congresso ou numa revista científica sujeita a análise pelos pares, levantam questões e preocupações sobre a fonte de informação.

Além disso, a metodologia utilizada neste estudo, conforme descrito de forma insuficiente no resumo, parece ter uma série de limitações relevantes. Adicionalmente, o estudo não levou em consideração um conjunto de fatores de confusão que podem afetar os resultados do estudo, como a qualidade geral da dieta, a elevada possibilidade de as mulheres que consumiam adoçantes de baixas calorias também serem obesas ou terem síndrome do ovário policístico (PCOs), entre outros fatores que afetam as taxas de fertilidade.

Os adoçantes de baixas calorias podem ser uma ferramente segura e útil para as mulheres adotarem uma dieta saudável, equilibrada e com controlo de calorias. Existe também forte evidência de que a substituição do açúcar em alimentos e bebidas por adoçantes de baixas calorias pode ajudar nomeadamente as mulheres em idade reprodutiva, a reduzir a ingestão calórica e a controlar de forma mais eficaz o peso corporal. 2

  1. http://scientific.asrmcongress.org/Portals/1/2016PDFs/2016AbstractSupplement.pdf?ver=2016-09-09-0930…
  2. Rogers PJ, Hogenkamp PS, de Graaf K, et al. Does low-energy sweetener consumption affect energy intake and body weight? A systematic review, including meta-analyses, of the evidence from human and animal studies. Int J Obes 2016; 40(3): 381-94.