Adoçantes de baixas calorias na diabetes: Médicos explicam o seu papel no controlo da glicose


Posted: 22 março 2019

Notícias científicas das sessões da ISA que decorreram no 31.º Congresso Nacional da Federação Mexicana de Diabetes


Destaques:

  • Adoçantes de baixas calorias são seguros e pessoas com diabetes podem ter benefícios com o seu uso enquanto substitutos do açúcar.
  • Os níveis de glicose do sangue não aumentam com os adoçantes de baixas calorias e, portanto, podem ser usados em vez de açúcares para um melhor controlo glicémico em pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2.
  • Quando usados como parte integrante de um regime alimentar saudável, os adoçantes de baixas calorias podem ser uma ferramenta útil em programas de perda de peso e de manutenção.

O facto que os adoçantes de baixas calorias não causarem um pico nos níveis de glicose no sangue tem sido assegurado pelas autoridades reguladoras que também confirmaram a sua segurança através pesquisas ao longo de quase quatro décadas. No entanto, apesar de este benefício estar bem documentado, ainda existem questões entre as pessoas com diabetes sobre como os adoçantes de baixas calorias devem ser usados e incorporados na sua alimentação. É por isto que é muito importante que os profissionais de saúde forneçam informações úteis e precisas sobre o uso de adoçantes de baixas calorias no lugar do açúcar.

No âmbito do 31.º Congresso Nacional da Federação Mexicana de Diabetes que teve lugar em Acapulco, México, de 14 a 16 de março, a ISA apoiou duas sessões sobre adoçantes de baixas calorias, onde médicos especialistas apresentaram a mais recente evidência científica1,2,3,4 para ambos, tanto profissionais de saúde como também pacientes com diabetes. O Dr. Héctor Sánchez Mijangos, MD, Presidente Médico da Federação Mexicana de Diabetes, forneceu os mais recentes dados na apresentação a cientistas e profissionais de saúde, enquanto a Dra. Marisol Gil Pérez, MD, Presidente e fundadora da ONG Historias de Vida y Azúcar, falou com pessoas com diabetes sobre o papel dos adoçantes de baixas calorias e forneceu informação prática sobre o seu uso na alimentação no dia-a-dia.

Ao apresentar os artigos científicos mais recentes e importantes que examinam o papel dos adoçantes de baixas calorias no controlo do peso e controlo da glicose, o Dr. Sánchez Mijangos concluiu que, quando os adoçantes de baixas calorias são utilizados para substituir o açúcar no contexto de um plano de dieta controlado, eles podem ajudar as pessoas a reduzir o seu consumo de energia e hidratos de carbono e, por sua vez, a ajudar na gestão mais eficaz do seu peso corporal e no controlo da glicose. O Dr. Sánchez Mijangos apresentou os resultados de uma declaração de posição sobre os adoçantes de baixas calorias desenvolvida pela Federação Mexicana de Diabetes2, que foi publicada em 2016, e no qual suportava que os adoçantes de baixas calorias não aumentam os níveis de insulina e glicose no sangue e não têm efeitos adversos no controlo glicémico a longo prazo (medida com hemoglobina glicada - HbA1c).

Ao falar com pessoas com diabetes numa sessão intitulada “Substitutos do açúcar: São para mim?”, a Dra. Marisol Gil Pérez explicou a evidência que suporta que os adoçantes de baixas calorias são seguros e mostrou como as autoridades reguladoras examinam exaustivamente estas evidências para decidir sobre a segurança dos substitutos do açúcar, abordando ainda o seu papel na gestão da diabetes. Discutindo sobre os desafios na sua alimentação, a médica e os participantes da sessão falaram sobre a sua experiência e a Dra. Gil Pérez deu alguns exemplos práticos de como os adoçantes de baixas calorias podem ser usados em substituição de calorias e açúcares nos alimentos e nas bebidas.

A mensagem principal a reter de ambas as sessões é que os adoçantes de baixas calorias podem ser uma ferramenta útil para um melhor controlo glicémico em pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2, quando usados em substituição do açúcar juntamente com um regime alimentar saudável e um estilo de vida ativo.

Referências

  1. Aldrete-Velasco J, et al. Análisis de la evidencia disponible para el consumo de edulcorantes no calóricos. Documento de expertos [Analysis of the available evidence regarding the consumption of low calorie sweeteners. An expert document]. Medicina Interna de Mexico 2017; 33(1): 61-83
  2. Postura de la Federación Mexicana de Diabetes, A.C. (FMD) sobre edulcorantes no calóricos [Position of the Mexican Federation of Diabetes on low calorie sweeteners]. Diabetes Hoy 2016; vol XVII
  3. Laviada-Molina H, et al. Posición de la Sociedad Mexicana de Nutrición y Endocrinología sobre los edulcorantes no calóricos [Position of the Mexican Society of Nutrition and Endocrinology about low calorie sweeteners]. Rev Mex Endocrinol Metab Nutr 2017; 4: 24-41
  1. Laviada-Molina H, et al. Consenso de la Asociación Latinoamericana de Diabetes sobre uso de edulcorantes no calóricos en personas con diabetes [Consensus of the Latin-American Association of Diabetes on low calorie sweeteners' use in persons with diabetes]. Rev ALAD. 2018;8:152-74