Congresso AFDN


Data: 26th to 28th May 2016, Lille, France

Mantendo-se sempre perto da comunidade científica, a Associação Internacional de Adoçantes (ISA) teve muito gosto em participar na 54.ª Edição das Jornadas de Estudos da AFDN (a primeira organização francesa profissional de dietistas, em Lille, França, de 26 a 28 de Maio.

Na quinta-feira, 26 de Maio, das 11h às 12h, a ISA organizou uma mesa redonda sobre os tópicos muito interessantes do papel dos adoçantes de baixas calorias na gestão do peso e diabetes.

Liderado por peritos reconhecidos nos campos da nutrição, obesidade e doença metabólica, o Dr. Jean-Michel Lecerf (Head office do departamento de nutrição do “Instituto Pasteur de Lille”) e Corinne Peirano (Nutricionista e Dietista, Nutrição de Saúde e Desporto), a discussão focou-se em como os adoçantes de baixas calorias podem ser úteis na gestão e controlo do peso, olhar para o seu efeito no apetite e preferência pelo sabor doce, bem como o papel dos adoçantes de baixas calorias na dieta de pessoas com diabetes.

Por favor descarregue o folheto do simpósio e leia mais sobre o programa clicando aqui . Pode também saber mais sobre as apresentações e os oradores abaixo.

Para ler o comunicado de imprensa da ISA sobre este evento, por favor clique aqui. Também o convidamos a ler a nossa entrevista com o Dr. Lecerf sobre o papel e benefícios dos adoçantes de baixas calorias na gestão do peso bem como sobre obesidade e os fatores que a afetam, ferramentas de gestão de peso, etc, clicando aqui.

Resumo da apresentação pelo Dr. Jean-Michel Lecerf

Os adoçantes de baixas calorias providenciam sabor doce sem calorias. O sabor doce é parte do prazer que os humanos procuram na sua dieta, o que é natural e necessário. O papel da ingestão excessiva de hidratos de carbono, particularmente de comidas e bebidas “sem açúcar” ou “sem açúcares adicionados” no aumento de peso já foi estabelecido, e é um fator reconhecido ligado à epidemia da obesidade, porque leva a um balanço energético positivo. A diminuição da ingestão de energia é necessária para gerir o excesso de peso ou obesidade. A adesão a recomendações dietéticas é um fator chave para a inversão do aumento de peso e a gestão de peso a longo prazo. A educação em nutrição é uma ferramenta indispensável para a mudança dos hábitos dietéticos. A frustração e a perda de prazer na dieta podem impedir a perda de peso. A sensação de culpa sentida quando não se segue estritamente a dieta pode também manter a autoestima em baixo. Muitos estudos já mostraram que os indivíduos que escolhem comidas e bebidas baixas em calorias fazem melhores escolhas alimentares e têm uma dieta mais saudável. Além disso, muitos estudos mostraram que os indivíduos que incluem comidas de baixas calorias e bebidas com adoçantes de baixas calorias na sua dieta, têm uma maior perda de peso, do que aqueles que não o fazem. Portanto, o uso de adoçantes de baixas calorias é um meio útil na gestão de peso em indivíduos obesos ou com excesso de peso. O seu uso, no entanto, tem de ser parte de uma mudança geral na dieta e estilo de vida, incluindo o aumento da atividade física.

Assim sendo, os adoçantes de baixas calorias têm lugar no tratamento da obesidade, desde que o seu uso seja acompanhado de uma mudança de estilo de vida abrangente e sustentável e por educação em nutrição.

O Dr. Jean-Michel Lecerf

Head Office do departamento de nutrição do “Instituto Pasteur de Lille” e médico.

Especialista em endocrinologia e doenças metabólicas.
Médico na Universidade Hospital of Lille. Professor associado. Chefe do Departamento de Nutrição no Instituto Pasteur de Lille.
Autor de 250 trabalhos com revisão de pares e 450 artigos no campo da nutrição, obesidade, diabetes, dislipidemia e endocrinologia. Autor de 15 livros e 50 capítulos de livros.
400 comunicações orais.
Membro de diversos Scientific Advisory Boards. Perito da ANSES, HAS e AFNOR.

Resumo da apresentação por Corinne Peirano

Sacarina, ciclamato, aspartame, glicosídeos de esteviol, acessulfame de potássio, sucralose... estes adoçantes estão entre os adoçantes de baixas calorias mais conhecidos e utilizados. Podem ajudar as pessoas a ir de encontro aos seus objetivos nutricionais relacionados parcialmente com a saúde pública. Os adoçantes de baixas calorias têm uma potência de adoçar mais alta do que o açúcar, e o benefício de providenciar baixas calorias ou nenhumas, sem afetar os níveis de glicose no sangue. Este último benefício pode ajudar pessoas com diabetes a incluir adoçantes de baixas calorias na sua dieta, sem recearem que estes tenham um impacto no controlo da glicemia. Na prática, são usados como adoçantes de mesa ou como substitutos ao açúcar pela indústria alimentar, para providenciar o desejado sabor doce nas comidas. Os adoçantes de baixas calorias, classificados como aditivos, têm sido alvo de controvérsia nos meios de comunicação, incluindo meios do domínio científico. No entanto, autoridades de saúde pelo mundo confirmaram que são seguros para consumo, baseado em avaliações toxicológicas rigorosas, e, assim, os reguladores nacionais e Europeus confirmam que podem ser adicionados em comidas e bebidas e usados como adoçantes de mesa.

Corinne Peirano

Dietista-Nutricionista, Nutrição de Desporto e Saúde

Dietista-Nutricionista Freelance em Paris
Membro da AFDN (Associação Francesa de Dietistas-Nutricionistas)
Especialista em excesso de peso e obesidade, desordens alimentares, perita em nutrição desportiva
Conferencista na D.U. Nutrition and APS, University Paris Descartes UFR STAPS Faculdade de Medicina de Paris
Perita do HAS (Autoridade Nacional Francesa de Saúde) em excesso de peso e obesidade
Oradora do JFN, INSEP, AFDN, SIFMED
Membro do SIFMED (Sociedade Francesa de Medicina e assuntos relacionados com Saúde no Desporto)